[Histórias] Michel Uehara

Histórias - MIchel Uehara (Especial dia dos Pais)Minha família sempre foi do beisebol, então era uma questão de tempo eu conhecer esse estilo vida. Fui pela primeira vez ao Nippon Blue Jays quando tinha nove anos. Lembro-me de ficar assistindo um “catch ball” de base das meninas mais velhas. Estava sentada com o meu pai em um tronco tombado de baixo de umas árvores. Foi encantador assisti-las! Elas me pareciam fortes e poderosas e isso me fez querer ser um pouquinho como elas.

Histórias - MIchel Uehara (Especial dia dos Pais)A partir daí todos os finais de semana e feriados prolongados foram dedicados ao softbol. Foram muitos treinos, campeonatos e concentrações. Se naquela época eu tinha adorado o soft, meu pai tinha amado. Os anos iam se passando e a história dele no esporte só ia aumentando. Foi auxiliar técnico, técnico, juiz, membro de diretorias… não parou mais!

Histórias - MIchel Uehara (Especial dia dos Pais)O soft acabou aparecendo na minha vida em uma época bem complicada. Meus pais estavam se separando e meu pai estava saindo de casa, então a rotina intensa do esporte acabou nos unindo cada vez mais. Acredito que foi graças a isso que eu consegui construir a verdadeira imagem do meu pai e enxergá-lo lá no fundo. O esporte me ajudou a ver o lado dedicado, caridoso, responsável e determinado dele, e me mostrou o quanto ele tem um coração super mole quando as coisas ficam emocionantes!

Histórias - MIchel Uehara (Especial dia dos Pais)Joguei pelo Nippon Blue Jays até começar a estudar de verdade para o vestibular. Entrei na FOUSP (Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo) para ser cirurgiã-dentista em 2010 e antes de eu saber que lá existia um time de soft o time já sabia de mim e fui convocada a me juntar a família Wolves!

Histórias - MIchel Uehara (Especial dia dos Pais)Quantas alegrias e amizades esse time me trouxe. Um dos momentos mais importantes dos anos de faculdade foi a conquista de duas medalhas no InterUSP com o time mais fofo e unido desse mundo. Pai, obrigada por nos treinar nos finais de semana para que isso fosse possível. Foi muito importante para mim.

O soft me ensinou e mostrou muitas coisas. Aprendi sobre o espírito de equipe, sobre ser mais responsável, sobre ganhar e perder e a ter respeito pelos adversários. Sou muito grata a este esporte e ao meu pai por mostrar esse mundo de união.

Feliz dia dos pais, papi. Obrigada por tudo!

Te amo.
Cindi Mie Uehara

GALERIA DE FOTOS