COI cogita adiar Olimpíadas de Tóquio

Jogos OlímpicosApós sofrer enorme pressão mundial, o Comitê Olímpico Internacional (COI) fez uma reunião, neste domingo (22), e discutiu possíveis cenários para a remarcação dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que aconteceria entre os dias 24 de julho e 9 de agosto. O posicionamento oficial da entidade sai em até quatro semanas.

Merch 2020

Em nota, o COI afirmou que “um cancelamento dos Jogos não resolveria qualquer problema e nem ajudaria ninguém. Portanto, um cancelamento não está na agenda.” Essa é a primeira vez que o comitê olímpico cogita o adiantamento das Olimpíadas. Entre as possibilidades está a remarcação do evento para o final desde ano ou para ser transferida para 2021 ou 2022.

No último sábado (21), o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), emitiu um comunicado, defendendo a necessidade do adiamento das Olimpíadas. Na nota publicada no site do COB, a entidade argumenta que com o agravamento da pandemia do COVID-19, atletas tem tido dificuldade de se manterem em seu melhor nível competitivo, visto que houveram paralisações nos treinamentos e nas competições em escala global. (Nota na integra no final da matéria)

Além do COB, a Global Athlete elevou o tom e entrou na lista das entidades pedindo o adiamento das Olimpíadas. O momento internacional que é liderado por atletas emitiu uma nota pedindo para que o COI e o Comitê Paralímpico Internacional (CPI) considerem o adiantamento dos Jogos de 2020. (comunicado na integra no final da matéria)

Após as pressões, o COI mudou a postura, visto que por semanas os organizadores foram convencidos pela entidade de que o maior evento esportivo do mundo não seria afetado. No início do mês (março) o porta-voz do COI, Mark Adams, declarou que as Olimpíadas “segue em frente”. No início da semana passada, o Primeiro Ministro japonês, Shinzo Abe, falou no parlamento do país que o COI e o comitê organizador “não estão considerando o cancelamento ou o adiamento”.

Os atletas por sua vez começaram a subir o tom e foram às mídias pedir o adiamento do evento. Membros do Comitê Olímpico Japonês também pediram o adiamento. Na última sexta-feira (20), a federação de natação dos Estados Unidos, uma das mais influentes do mundo, pediu o adiamento do evento e na manhã seguinte a USA Track & Field seguiu o mesmo exemplo.

No domingo, antes da reunião, Lawrence Gostin, diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), que dá assessoria para o COI, declarou que “seria totalmente irresponsável realizar as Olimpíadas” neste verão. “As Olimpíadas são inconcebíveis agora, poderíamos prever com segurança que estaríamos seguros até 24 de julho? Nunca.”

Na saída da reunião, Thomas Bach, presidente do COI, reiterou a nova posição do COI e declarou que a resposta final sairia em quatro semanas. A resposta não foi bem aceita e Sir Hugh Robertson, presidente da Associação Olímpica Britânica, cobrou mais rapidez e afirmou que “não parece apropriado continuar com os Jogos Olímpicos no ambiente atual”.

(foto: reprodução)

NÃO DEIXE DE ASSISTIR

(Dra. Karina Hatano explica as precauções das suspensões)

NOTA COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO

“O Comitê Olímpico do Brasil defende a transferência dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021, em período equivalente ao originalmente marcado, entre o fim de julho e a primeira quinzena de agosto.

A posição do COB se dá por conta do notório agravamento da pandemia do COVID-19, que já infectou 250 mil pessoas em todo o mundo, e pela consequente dificuldade dos atletas de manterem seu melhor nível competitivo pela necessidade de paralisação dos treinos e competições em escala global.

‘Como judoca e ex-técnico da modalidade, aprendi que o sonho de todo atleta é disputar os Jogos Olímpicos em suas melhores condições. Está claro que, neste momento, manter os Jogos para este ano impedirá que este sonho seja realizado em sua plenitude’, afirma o presidente do COB, Paulo Wanderley, que comandou a seleção brasileira em Barcelona 1992.

O COB ressalta que a sugestão de adiamento em nada altera a confiança da entidade no Comitê Olímpico Internacional (COI) de que a melhor solução para o Olimpismo será tomada.

‘O COI já passou por problemas imensos anteriormente, como nos episódios que culminaram no cancelamento dos Jogos de 1916, 1940 e 1944, por conta das Guerras Mundiais, e nos boicotes de Moscou 1980 e Los Angeles 1984. A entidade soube ultrapassar estes obstáculos, e vemos a Chama Olímpica mais forte do que nunca. Tenho certeza de que o Thomas Bach, atleta medalha de ouro em Montreal 1976, está plenamente preparado para nos liderar neste momento de dificuldade’, completa Paulo Wanderley.

Desde o início da pandemia, o COB tem priorizado a saúde e o bem-estar dos atletas brasileiros e colaboradores do Comitê. Ha uma semana, a entidade cancelou eventos públicos e preparatórios para os Jogos e determinou na terça-feira o fechamento total do CT Time Brasil”.

COMUNICADO GLOBAL ATHLETE

Global Athlete apela ao Comitê Olímpico Internacional e ao Comitê Paralímpico Internacional para que adiem os Jogos até que a pandemia global do Covid-19 esteja sob controle

Nós ouvimos centenas de atletas e hoje estamos pedindo para que tanto o Comitê Olímpico Internacional quanto o Comitê Paralímpico Internacional coloquem a segurança e o bem-estar dos atletas em primeiro lugar adiando os Jogos até que a pandemia global do Covid-19 esteja sob controle.

Enquanto o mundo se une para combater o vírus covid-19, o COI e o IPC deveriam fazer o mesmo. Até hoje as duas organizações disseram aos atletas que continuem se preparando para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os atletas querem ser parte das ações que garantirão o sucesso dos Jogos, mas diante das restrições internacionais como restrições de público e centros de treinamentos e fronteiras fechados, os atletas não possuem condições adequadas para se prepararem para essa edição dos Jogos e sua saúde e segurança devem vir em primeiro lugar.

O esporte tem o dever de cuidar e proteger seus atletas. Saúde pública deve ser prioridade além da realização de eventos esportivos. Pedir que os atletas continuem suas rotinas de treino normalmente para os Jogos claramente coloca suas saúdes física e mental em risco.

Atletas querem realizar seus sonhos de competir em uma Olimpíada e Paralimpíada. Nós entendemos os desafios e custos de adiar os Jogos e está é uma decisão muito difícil.

Nós todos reconhecemos que os Jogos têm uma capacidade única de reunir países e unir um mundo dividido. É por isso que esperar é tão importante. Com um envolvimento significativo de atletas, uma edição futura dos Jogos poderia atuar como uma celebração, mostrando que todos nós fizemos nossa parte na superação da pandemia de Covid-19.

Por fim, pedimos que as emissoras (NBC) e os patrocinadores adotem o mesmo nível de cuidado com os atletas, apoiando o COI e o IPC com flexibilidade e compreensão durante esse período de incertezas.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.