Melhores batedores do XVI Campeonato Mundial de Softbol Masculino

XII Campeonato Mundial Junior MasculinoA Comissão Organizadora do XVI Campeonato Mundial de Softbol Masculino está divulgando uma série de especiais para ir preparando o público para a competição que vai acontecer em Praga, entre os dias 13 e 23 de junho.

Para trazer informações detalhadas e recheadas de estatísticas chamaram Israel Nukunuku, ou apenas Izzy, para montar uma lista com os melhores batedores do mundo. Manager desde 2008, Izzy tem credenciais em cinco países podendo atuar tanto no softbol masculino, quanto no feminino, além de ter um cargo na Internacional Softball Academy, no Canadá.

Para Izzy, as cinco seleções melhor posicionadas no Ranking da WBSC (Argentina, Austrália, Canadá, Japão e Nova Zelândia) contem grandes estrelas no elenco e devem ser observadas mais de perto:

Argentina

XII Campeonato Mundial Junior MasculinoOs Argentinos estão ocupando a 5ª colocação do Ranking e em 2017 montou seu lineup recheado de bons batedores. Mas, um entre todos chama a atenção: Bruno Mortroni. No Mundial de 2017, Mortroni atuou em seis partidas, tendo 17 at bats tendo 52,9% de aproveitamento. Foram 9 hits, incluindo uma dupla, tripla e dois home runs.

Outros dois integrantes da seleção alviceleste devem atormentar os arremessadores adversários: Santiago Carril e Juan Zara. Ambos atuaram em seis partidas no mundial anterior, tiveram 53.3% e 52,9% de aproveitamento respectivamente e somados conseguiram dois home runs, 11 corridas e 17 rebatidas válidas.

Austrália

Os australianos ocupam a 4ª colocação do Ranking Mundial e ficaram com o vice-campeonato no último Mundial. Na Challange Cup, que aconteceu em Janeiro, a Austrália deu folga para os principais títulares se tornando uma incógnita sobre como estão para o Mundial.

Pelas estatísticas, Nick Shailes e James Todhunter são os dois principais batedores dos Aussies. Em 2017 foram lideres do Mundial em rebatidas, Nick teve 6 home runs e 12 walks e James não ficou longe, foram 5 bolas isoladas, 11 rebatidas válidas e 13 corridas impulsionadas em 31 oportunidades no bastão.

Canadá

Na 2ª colocação do Ranking, os canadenses são considerados uma ameaça a todos os oponentes.  Mas, os batedores mais preocupantes são Steve Mullaley e Jeff Ellsworth.

Mullaley teve, no mundial de 2017, 33,3% de aproveitamento no bastão, oito corridas anotadas, sete rebatidas válidas sendo duas duplas e um home run. Além de três corridas impulsionadas, 12 bases conquistadas, .571 SLUG, 483 BP, teve sete walks e foi eliminado por strikeouts apenas seis vezes.

Ellsworth se aposentou do Softbol em 2015, porém, em 2018, foi novamente convocado para seleção canadense aos 40 anos. Participou da medalha de bronze em 2009, do ouro em 2015 e da 5ª colocação em 2013.

Japão

Ocupando o 3º lugar do Ranking os japoneses têm ótimos batedores. Hikary Matsuda e Yusuke Morita são os lideres de rebatidas. Matsuda esteve na liderança do último mundial com 11 corridas impulsionadas e sete anotadas, sete rebatidas válidas (dois doublés, um triple e dois home runs) terminando a competição com 30,3% de aproveitamento.

Morita foi parecido com o companheiro tendo as mesmas sete corridas e rebatidas, mas conseguiu apenas duas duplas e um home run. O AVG foi de .256. Sua atuação foi melhor na Challenge Cup deste ano, conseguindo  anotar duas corridas, três rebatidas, impulsionar dois companheiros em apenas sete oportunidades no bastão.

Seii Kuroiwa vem se destacando na seleção japonesa, não estava no último mundial, mas foi destruidor na Intercontinental Cup de 2018. Foram seis partidas e 16 oportunidades no bastão,  duas corridas anotadas, quatro impulsionadas, sete rebatidas válidas. Na Challange Cup foram 13 at bats, cinco pontos anotados, três impulsionados e seis hits, sendo eliminado por SO apenas três vezes.

Nova Zelândia

Nova ZelândiaOs atuais campeões do mundo vão para o Mundial com um elenco de ótimos sluggers. Tyron Bartorillo e Kallan Compain conseguiram cinco home runs na edição passada. THoma Enoka foi o líder da competição em corridas impulsionadas (15) e pontos anotado (13). Campbell Enoka, conseguiu trezes rebatidas válidas e Nathan Nukunuku teve duas triplas e 11 walks.

Extra:

Fora dos cinco principais países, devemos ficar de olho em Rafael Flores da Venezuela, 8ª no Ranking Mundial. Aos 36 anos, Flores é a arma venezuelana nas competições, em 2017 teve 24 oportunidades, anotou 12 corridas e teve 13 rebatidas que incluem quatro duplas e cinco home runs, além de impulsionar 11 companheiros ao home e conquistar 32 bases. Se esse números não fossem assustadores, Flores teve apenas um Walk e foi eliminado três vezes por strikeouts.

(fotos: WBSC vários campeonatos)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.